Barretos 2008

Ao contrário do que a maioria pensava – inclusive nossos novos amigos barretenses – meu namorado e eu fomos, sim, passar o final de semana Barretos. O motivo era um só: conhecer in loco a famosa Festa do Peão, cuja 53ª edição foi aberta na última quinta-feira (21.08) e agita a cidade até o próximo domingo (31.08).

Depois de 400 km de estrada a partir da capital paulista, nosso passeio começou com um tour por Barretos incluindo uma rápida passagem (de carro!) pela 43. É lá que acontece uma espécie de carnaval de rua, o “Barretesão” com direito a música, muita bebida, e homens sem camisa e mulheres desfilando de shortinho, barriga de fora e, claro, chapéus de variados tipos e estampas. Por falar neles, me chamou atenção um de zebra, bem ousadinho se comparado à versão tradicional. Na mesma 43, aliás, é possível ver concretizado o boato de que é preciso tomar cuidado para não ser laçada (isso mesmo) por algum homem mais rústico, digamos assim.

Mas o nosso programa não seria aquele, o dos afoitos solteiros “com chapéu”. Na realidade, começaria às 21h, quando sairíamos preparados para quase 12 horas no Parque do Peão. Para iniciar a maratona, fomos convidados a uma parada no rancho da família de um dos nossos acompanhantes. Mas espere aí… Rancho? Sim, um local comandado por um grupo de sócios, onde além de bater-papo com tranqüilidade pode-se comer uma deliciosa carne, degustar pasteizinhos feitos na hora e carregar as baterias para os shows que estariam por vir. E foi o que fizemos.

Naquela noite, o palco seria comandado por três duplas: Bruno & Marrone, César Menotti & Fabiano (que acabou me conquistando com o hit “Ciumenta”) e Edson & Hudson, em uma versão atual daquele programa “Amigos”, lembram? Pois bem. Assistimos ao show no camarote de um dos patrocinadores – um gigante local que decidiu investir na industrialização da carne e seus derivados. De lá, me empolguei ao som de “Ciumenta | Para de ser tão ciumenta | Desse jeito nenhum homem te agüenta | Se liga ou você vai me perde(e)r”, entre outros sucessos. Estava animada, e só não agitei o meu chapéu no alto porque me desencorajaram a comprar um. O argumento? Que ninguém na faixa entre 20 e 30 anos aderia à tradição.

O show terminou e começou a balada, onde todos os jovens de Barretos se encontraram, viam e eram vistos. A produção das moças era caprichada, com calças de jeans novas em folha, batas e botas de montaria em profusão. Caipiras? Talvez a que mais se aproximasse fosse eu, que escolhi um vestidinho anos 50 que misturava flores miúdas e um xadrez marinho e branco. Voltamos para casa às 8h e a turma que mora em São Paulo já se preparava para o próximo final de semana. Aliás, no sábado terá Zezé di Camargo & Luciano e Rio Negro & Solimões. Quem se anima?

Por: Vivian Lorenzo Mendes

Anúncios

~ por namidia assessoria de comunicação em 25 agosto, 2008.

Uma resposta to “Barretos 2008”

  1. Realmente parece que voces curtiram de verdade essa maravilhosa festa parabéns, também estive lá e fiquei apaixonado pela cidade e pela festa com certeza estarei la no proximo ano.
    Ah, não podia deixar de falar pra vocês do site que descobri por lá: é o http://www.novoguiabarretos.com, tem muitas curiosidades sobre a festa e sobre a cidade também.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: